Voz Profissional - O princípio de tudo!

Lancez-Vous. C'est gratuit
ou s'inscrire avec votre adresse e-mail
Voz Profissional - O princípio de tudo! par Mind Map: Voz Profissional - O princípio de tudo!

1. A Voz Profissional

1.1. - pacientes históricos, professores, clérigo e políticos. Agora: Operador de teleserviços, executivos, locutores, etc.

1.2. Em todos: informação, educação e treinamento vocal + avaliação periódica, se sintomas.

2. Análise de qualidade vocal: período clássico - século XX

2.1. retórica: "arte da retórica. "arte da eloquência" e fala com as mãos.

2.2. Aristóteles: faculdade de ver teoricamente o que, em cada caso, pode gerar persuasão. - falar com entonação e gestos, prende a atenção. - uma fala monótona cria distração.

2.3. Oratória: retórica falada, discurso público. 3 pilares: - ethos (credibilidade): orador...em quem está falando. - fathos (emoção) e logos (lógica).

3. Retórica: características gerais

3.1. Persuasão por meio do discurso. Poder de convencimento, adesão intelectual com o uso do argumento, + preocupação com a adesão do que com a verdade, utilização da linguagem comum e não teórica ou especializada, dirigida à todos! Propõe à convicção.

4. Retórica no mundo grego - Origem

4.1. Século V a.C. Não somente no teatro grego, mas em outros locais era importante a entonação vocal e a persuasão para "prender" e convencer a atenção das pessoas, devido ao tamanho exagerado dos locais fechados ou abertos sem atenuação acústica. Em gênero judicial (nestes locais eram discutido tudo que era encaminhado por assembléia, votações, julgamentos).

4.2. Retórica desenvolve-se plenamente após a consolidação da democracia ateniense!

4.3. - Sofistas: oratória - professores para educação política (domadores da voz). 1.vociferarii - ajudavam a ampliar a voz (projeção, intensidade, ressonância). 2. Phonasci - melhorar a qualidade vocal, tornando-a sonora, agradável e cheia (qualidade vocal e ressonância). 3. Vocales - entonação e inflexão adequadas (entonação, interpretação e modulação). Além dos professores, os médicos faziam diagnóstico a partir da voz.

4.4. Escritores: estudavam FISIOGNOMIA - arte e ciência de deduzir caráter a partir das qualidades físicas e tipo de voz: - voz forte: pessoas profundas e corajosas - voz fraca/aguda: covardes

5. Sofistas

5.1. Pensadores e protagonistas. Platão - sofistas = conotação pejorativa.

6. Platão

6.1. "A retórica é apenas a manipulação desenfreada e imoral das técnicas argumentativas, com o intuito de subverter a verdade" -> de "oferecer armas desleais e práticas à posição inferior no plano lógico".

7. Aristóteles

7.1. Aluno de platão. Século IV a.C. -> estudo sistemático das diversas disciplinas das artes e ciências, separadamente.

7.2. Conceituação (categorias usadas até HOJE!). 1. Deliberativa - auditório julga ação futura/persuadir/dissuadir; 2. judicial - auditório julga ação passada/acusa ou defende; 3. epidítica - auditório não julga ações passadas ou futuras/elogia ou censura.

7.3. Discurso com 4 elementos: exórdio (introdução do discurso, propósito)/ enunciação da tese/prova/epílogo. Atribuição ao auditório (psicologia diferencial - emoções, convicções).

8. Nova retórica

8.1. Durante Império Romano. Oradores Romanos de renome -> Cícero e Quintiliano. Com a queda do Império Romano, a retórica era praticada e não ESTUDADA.

9. Cícero

9.1. Século I a.C. Principal Obra: ORATORE, coloca certas características da comunicação (universais e culturais).

9.2. Imperador NERO: tinha o seu professor de voz (PHONASCI) - orientava-o sobre a voz que ele deveria utilizarem diferentes segmentos. "ECONOMIA DE VOZ" - dirigindo-se somente ao chefe da guarda; mantinha sempre um lenço na boca para proteção da laringe.

10. Quintiliano

10.1. Século I d.C.: obra INSTITUTIONES ORATOTIAE (características vocais naturais e passíveis de controle.

10.2. Primeiros tópicos sobre abuso e fadiga vocal. Qualidades vocais podem ser melhoradas pela atenção e cuidado e as pioradas pela negligência. A fadiga vocal afeta a voz e o corpo todo.

10.3. Voz: - reta e firme: domínio; - macia: súplica; curta: medo; áspera e grossa: raiva; grave: persuasão e forte: razão.